Os direitos económicos de Danilo e Jackson Martínez foram dados como garantias em dois empréstimos, no total de 27,875 milhões de euros, que o FC Porto contraiu com o Novo Banco. Os contratos foram originalmente assinados em outubro de 2013 e em janeiro deste ano — ainda nos tempos do Banco Espírito Santo (BES) –, de acordo com o Relatório e Contas Trimestral da Sociedade Anónima Desportiva (SAD).

O documento, enviado esta sexta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), mostra que, a 30 de setembro — data até à qual foi o período em análise –, o FC Porto tinha seis empréstimos bancários que, em conjunto, eram avaliados em 34,1 milhões de euros. Quatro deles pertencem ao Novo Banco e para cada um foi concedido uma garantia distinta.

Ao empréstimo de três milhões, por exemplo, e que vence em setembro de 2018, a SAD azul e branca deu como colateral as “receitas relativas aos bilhetes de época, bilheteira e quotas dos associados até à época de 2017/2018”. Depois, e além do contrato avaliado em 27 milhões de euros, há um outro empréstimo contraído com o Novo Banco, de 875 mil euros, em que os passes de Danilo e Jackson Martínez são dados como garantias.

Os dragões detêm 95% dos direitos económicos do avançado Jackson Martínez, que tem contrato com o FC Porto até junho de 2017 e, no caso de Danilo, o clube possui a totalidade dos direitos do defesa, cujo vínculo vai até junho de 2016. Segundo o site transfermarkt.com, o colombiano tem atualmente um valor de mercado de 30 milhões de euros, enquanto o brasileiro está avaliado em 16 milhões.

Os restantes dois empréstimos foram contraídos junto do banco Millennium BCP. Num deles, avaliado em 1,25 milhões e com data de vencimento em junho de 2017, a garantia oferecida foi o passe de Hélton. O guarda-redes brasileiro, contudo, apenas tem contrato firmado com o clube até junho de 2015.

Documentos