Rádio Observador

Paulo Portas

Paulo Portas quer reavaliação dos feriados só em 2016

"Os partidos terão que dizer o que se segue à etapa das excecionalidades", disse o líder do CDS, referindo-se ao Memorando assinado com a Troika.

Paulo Portas recordou que o Dia da Restauração é "especialmente importante" para os centristas

NUNO VEIGA/LUSA

O presidente do CDS-PP, Paulo Portas, anunciou este sábado que o partido defende a reavaliação da reposição dos feriados, com destaque para o de 1 de Dezembro em 2016, passado o período das eleições legislativas.

“Para que não haja nenhuma crítica relativamente à proximidade das eleições e desta matéria, porque acabei de demonstrar por Lei e por acordo com a Santa Sé que realmente tem que se fazer essa reavaliação até 2017, nós achamos que ela deve ser feita em 2016, já passado o quadro eleitoral”, disse.

Paulo Portas, que falava após o Conselho Nacional do CDS-PP, realizado em Elvas, no auditório São Mateus, no Museu da Fotografia, recordou, sobre a reposição dos feriados, que está “prevista” uma “reavaliação” que tem que acontecer até 2017 e, portanto, “convém” que o partido faça o “trabalho de casa” para saber o que deve propor no futuro.

“Os partidos terão que dizer o que se segue à etapa das excecionalidades, que foi aquela que nós vivemos com um perpetuado, um Governo com os credores, um memorando assinado pelo anterior Governo. O país venceu essa etapa e vai a caminho de uma maior normalidade e nós temos que dizer às pessoas o que é que pensamos sobre uma serie de assuntos”, disse.

“Um deles, não necessariamente o mais importante, mas simbolicamente relevante, é a reavaliação que está prevista na Lei e no acordo com a Santa Sé sobre a questão dos feriados”, acrescentou.

Paulo Portas recordou ainda que a questão do feriado de 01 de Dezembro é “especialmente importante” para os centristas, sublinhando que sempre afirmaram que a supressão era “transitória”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

O Adolfo, a Direita e os negócios /premium

Luís Rosa
284

Muitos políticos gostam de ter uma vida dupla entre o exercício da política e a defesa dos interesse privados das empresas que os contratam. Mesquita Nunes não conseguiu resistir a esse apelo.

Angola

O meu problema com Paulo Portas /premium

Miguel Pinheiro
647

Portas conseguiu desiludir sempre. Aos que queriam um jornalista, saiu-lhes um político; aos que queriam um político, saiu-lhes um homem de negócios. Em Angola, passou a ser MPLA desde pequenino.

Política

Portugal: um país anestesiado

José Pinto

A um país anestesiado basta acenar com o Simplex, versão revisitada. Ninguém vai questionar. A anestesia é de efeito prolongado. O problema é se o país entra em coma.

Política

Bem-vindo Donald Trump, António Costa merece!

Gabriel Mithá Ribeiro

A direita em Portugal, e o PSD muito em particular, nunca foram capazes de afirmar um discurso sociológico autónomo. CDS-PP e PSD insistem em nem sequer o tentar, mesmo quando se aproximam eleições.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)