A estrutura de Sindicatos do Grupo TAP vai pedir “de imediato” e “com caráter de urgência” uma reunião ao secretário-geral do PS, António Costa, sobre a privatização da transportadora aérea que considera ser “altamente lesiva” para o país.

Em comunicado, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) adianta que a estrutura de Sindicatos do Grupo TAP que integra além deste sindicato, o SITAVA (Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos) e o SINTAC (Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil), vai pedir uma reunião “com caráter de urgência, ao dr. António Costa, Secretário-Geral do PS, principal partido da oposição”, sendo a privatização do grupo TAP o tema em discussão.

A estrutura de sindicatos tomou esta decisão numa reunião que decorreu na segunda-feira nas instalações do SNPVAC.

O comunicado lembra ainda que a estrutura dos três sindicatos representa mais de 60% dos trabalhadores da empresa e que estes “mantêm-se unidos naquele que foi o motivo da sua criação: opor-se a esta privatização da TAP, que todos consideram altamente lesiva para o país e para os trabalhadores desta empresa”.

Os três sindicatos mantiveram o pré-aviso de greve para os dias 27, 28, 29 e 30 de dezembro, em protesto contra a privatização do grupo TAP relançada pelo Governo em novembro.

No entanto, os sindicatos apelaram aos trabalhadores para se apresentarem ao trabalho durante o período de greve, cumprindo a requisição civil que o Governo decretou para minimizar o impacto da paralisação na época natalícia.

Na quarta-feira, nove dos 12 sindicatos que inicialmente tinham anunciado uma greve contra a privatização da empresa desconvocaram a greve, depois de terem assinado um memorando com o Governo, que aceitou discutir com os representantes dos trabalhadores as condições para manter a TAP em Portugal por dez anos após a privatização.