Antes de começar a ler este artigo, uma nota: já escolheu a banda sonora? Se ainda não o fez, aproveite e reflita sobre o seu estado de espírito. Depois, decida. Se estiver triste, nostálgico ou melancólico, talvez ajude saber que pode não encontrar melhor aliado para a tristeza do que a própria tristeza. Lembra-se que negativo vezes negativo dá positivo? Ou que menos com menos dá mais?

Quando se sente mais em baixo, esqueça os rimos acelerados. Um estudo alemão, publicado na Time, vem acabar com a ideia de que a música alegre deixa as pessoas felizes, quando estão tristes. Os investigadores da Freie Universitat Berlin comprovaram: são as baladas as responsáveis pela mudança de humor dos ouvintes – do mau para o bom.

A investigação envolveu 770 adultos a quem perguntaram quantas vezes ouviam música triste, que situações os inspiravam a fazê-lo e que tipo de emoções sentiam quando as ouviam. Aquelas que mais invadiram as respostas foram ternura, tranquilidade e nostalgia. Conclusão: quando as pessoas ouvem uma canção triste, a melhor recompensa que têm é poderem sentir essa tristeza sem que tenham de passar por um problema ou dificuldade real.

Quando a música acaba, a verdade é que não passou por nada que, efetivamente, o tivesse perturbado/a. Mais: quando ouve uma canção mais triste, não se sente sozinho na dor. Os adultos que participaram no estudo revelaram que sentiram empatia com a música melancólica, que se identificaram ou simpatizaram com o cantor e que a música os ajudou a regularizar o humor.

E se a música está de mãos dadas com a tristeza, então é provável que entre outro sentimento na equação – o amor. Neste caso, o desamor. A partir do estudo, os investigadores puderam concluir que as pessoas que estão a passar por problemas nas suas relações, encontram conforto nas músicas mais tristes. Daí a popularidade das playlist de “fim de namoro”, escreve a Time.

Por outro lado, a maior parte dos adultos envolvidos no estudo confessou que ouvia música alegre em festas ou como background de alguns momentos, como trabalhar, viajar ou fazer tarefas domésticas. Nesses casos, dizem os investigadores, não é necessário regular o humor.

Certo é que, independentemente do estado de espírito em que as pessoas se encontravam quando ouviam músicas mais melancólicas, os resultados concluíram que as canções tristes tinham um efeito positivo no seu humor e na sensação de bem-estar. Mais: um estudo publicado no ano passado na Frontiers in Psichology concluiu que as músicas tristes conduziam os ouvintes a emoções românticas.

É caso para lembrar a (música alegre) Sad Song, do álbum The Bird of Music (2007), de Au Revoir Simone e dizer “põe a tocar uma música triste, porque é isso que quero ouvir. Quero que me faças chorar. Quero lembrar os lugares que deixámos perdidos no tempo”.

Play me a sad song
‘Cause that’s what I want to hear
I want you to make me cry
I want to remember the places that we left
Lost to the mists of time