Um homem que usava um colete à prova de bala disparou uma metralhadora, cerca das 8h19 (7h19 em Portugal Continental) contra a polícia que se encontrava perto da porta Chatillon, na zona sul de Paris, disse fonte policial ao Les Echos. Ainda não há dados oficiais do número de vítimas, mas as últimas informações indicam que terá morrido no hospital a mulher polícia atingida e um que cidadão estará gravemente ferido.

Os polícias estavam no local para cortar o trânsito depois de um acidente que envolveu alguns automobilistas, explica o belga Dhnet. Um suspeito terá sido detido para interrogatório e outro fugido e entrado numa estação de metro. Foi, entretanto, avistado um homem armado na zona da saída de Défense, alerta o Le Figaro. Tendo sido aqueles que trabalham nas imediações alertados, através do email, para se manterem dentro dos edifícios.

Bernard Cazeneuve, ministro francês do Interior, abandonou a reunião que decorria no Eliseu para ir até ao local do crime. Depois de ter sido, durante a manhã, detido um homem que o ministro do Interior confirmou não ser um dos suspeitos fontes policiais confirmam que já há dois detidos, informa a BBC.

Alice Wagstaffe, correspondente do Telegraph no local contou que a polícia apareceu com equipamento anti-motim preparada para uma incursão.

“Polícias anti-motim apareceram no momento em que ela morreu. Toda a imprensa foi afastada do local. Toda a gente diz que se estão a preparar para uma incursão.”

O tiroteio surge na manhã seguinte ao ataque à redação do jornal Charlie Hebdo que resultou em 12 vítimas mortais. Bernard Cazeneuve reafirma que é, para já, impossível relacionar os dois acontecimentos.