No dia em que se adensam os rumores da morte do líder cubano, Fidel Castro, a revista Time conta que o Quénia vive dias de agitação por ter morrido Fidel “Castro” Odinga. Era o filho do líder da oposição, tinha 41 anos apareceu morto inexplicavelmente, segundo as autoridades locais.

Odinga teria ido sair com amigos no sábado à noite, tendo sido encontrado morto, na sua cama no domingo de manhã. O caso está sob investigação para se apurar o que fez no tempo em que deixou os amigos e chegou a casa.

O médico legista forense já foi chamado e espera-se o resultado da autópsia do homem que foi apontado como o futuro líder da oposição.

A família Odinga tem recebido mensagens de condolência de vários opositores políticos inclusive o presidente e o vice-presidente.

https://twitter.com/UKenyatta/status/551690007455748096

O pai de Fidel, ex-primeiro-ministro, tem criticado muito o governo que acusa de se ter tornado uma ditadura. E a morte do filho tem causado vários tumultos nas favelas da cidade.

Fidel “Castro” Odinga, como era conhecido no país, é figura comum nos jornais pelos seus hábitos peculiares, como, por exemplo, comer com talheres de ouro que transportava sempre consigo ou pelos alegados consumos de drogas, conta o BuzzKenia.

Odinga foi muito referido no passado na imprensa internacional por se dizer primo do Presidente norte-americano Barack Obama.