O Papa Francisco anunciou que irá pela primeira vez a África em 2015. A visita irá incluir uma passagem pela República Centro-Africana e pelo Uganda, perto do final do ano. Numa conferência de imprensa dada no avião que o levava de volta a Roma, após uma visita de uma semana à Ásia, o sumo pontífice assegurou também que irá visitar em julho o Equador, a Bolívia e o Paraguai, ficando o Chile, o Uruguai e a sua Argentina natal para 2016, ainda sujeitos a confirmação.

A data exata da deslocação a África irá depender do clima, pois há que ter em conta “a estação das chuvas”, explicou o Papa, assinalando que a viagem de que regressou “foi atrasada por causa do Ébola”. A República Centro-Africana está a lutar por sair de uma crise política e de segurança que deixou um rasto de milhares de mortos entre as milícias cristãs (anti-balaka) e os rebeldes Seleka, essencialmente muçulmanos. A presença de três forças internacionais — a francesa Sangaris, a Eufor centro-africana e a missão da ONU para a RCA (Minusca) — ajudou a estabilizar a situação, mas ainda não conseguiu pacificar o país inteiro.

O Papa Francisco, que reuniu multidões nas Filipinas, prevê realizar cerca de 12 viagens este ano. Em novembro passado, o Papa confirmou uma viagem aos Estados Unido da América em setembro deste ano, onde visitaria a cidade de Filadélfia. Esta segunda-feira foi também confirmado que, durante essa viagem, o Papa irá visitar Washington e Nova Iorque, onde participará no fórum da ONU, refere a NBC. Aos jornalistas, o sumo pontífice disse que gostaria de entrar nos Estados Unidos pela fronteira mexicana, num sinal de “irmandade e de ajuda aos imigrantes”, mas que provavelmente iria voar diretamente para a costa este norte-americana.