O líder do grupo Boko Haram, Abubakar Shekau, reivindicou a autoria do ataque massivo na cidade nigeriana de Baga, no nordeste, e ameaçou os Estados vizinhos, Níger, Chade e Camarões, num vídeo colocado na internet na terça-feira.

“Matámos as pessoas de Baga. Matámo-las como o nosso Senhor nos instruiu no Seu Livro”, afirmou Shekau, durante um discurso de 35 minutos, colocado no Youtube na noite de terça-feira, embora ainda não se saiba quando foi gravado.

Numa mensagem direta para os vizinhos da Nigéria, e quando se desenrolam negociações para a constituição de uma força para combater este grupo, acrescentou: “Vocês, reis de África, chegaram tarde. Desafio-vos a atacarem-me agora mesmo. Estou pronto”.

No início do ano, o Boko Haram atacou a cidade e os arredores de Baga, tendo causado um número de vítimas ainda por quantificar exatamente, mas que algumas estimativas situam em vários milhares. Este poderá ter sido o pior ataque do grupo deste que aterroriza o país desde 2009, mas o líder terrorista desvaloriza o número de mortes. “Não vamos parar. Isto não é muito. Vocês vão ver”, citou o Guardian.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a Organização das Nações Unidas, citada por El País, nos últimos cinco anos mais de um milhão de pessoas viu-se obrigada a abandonar o norte da Nigéria desde que os ataques começaram. A Organização Mundial para as Migrações mostra-se preocupada com a quantidade de pessoas que se tentam refugiar noutras partes do país ou nos países vizinhos, por questões de segurança. Esta organização calcula que existam 120 mil refugiados em países como Chad, Níger e Camarões.

Só no acampamento de Minawao, no norte dos Camarões, podem existir 25 mil refugiados dos quais 60% serão crianças. A exposição ao perigo, a falta de alimentação e a impossibilidade de acesso à educação preocupam a UNICEF. Outras das preocupações é a dificuldade que a ajuda humanitária tem em encontrar as populações que se refugiaram junto ao lago Chad, localizado no cruzamento das fronteiras dos quatro países referidos.