O BPI enviou uma mensagem aos seus clientes onde se demonstra preocupado com a instabilidade política e a possibilidade de eleição do Syriza, um partido que considera antieuropeu.

A mensagem enviada por email, denunciada pelo Bloco de Esquerda e a que o Observador teve acesso, diz que a convocação de eleições antecipadas “não só compromete os avanços económicos que o país realizou em 2014 como também ressuscitou o espetro da vitória de um partido antieuropeísta”, numa altura em que o Syriza continua com vantagem nas sondagens.

“Após dois anos de tréguas, a situação política na Grécia voltou a assombrar os mercados acionistas. A derrota política sofrida por Antonis Samaras em dezembro do ano passado agudizou uma crise política que tinha tido origem meses antes”, escreve o banco aos seus clientes do BPI Net Bolsa.

O banco diz ainda que estas eleições levantaram também a questão do “grau de permeabilidade de alguns países europeus a um contágio de uma nova crise grega” — e anexa um link para um documento que diz que descreve os bastidores que levaram à atual instabilidade política.

As eleições gregas realizam-se este domingo, com o partido de esquerda Syriza a liderar as mais recentes sondagens. O partido de Alexis Tsipras defende a reestruturação da dívida grega (que seria a terceira durante o atual resgate), mas garantindo que não quer tirar o país da zona euro.