O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, afirmou nesta terça-feira que, para que a confiança na Zona Euro se mantenha, as regras e os acordos estabelecidos entre os Estados que adotaram a moeda única têm de ser cumpridos. “A confiança é importante, é a base para o funcionamento da zona euro e da União Europeia. Se há acordos e regras que foram adotados, é crucial que sejam seguidos”, afirmou Schäuble, que compareceu perante a Comissão dos Assuntos Económicos do Parlamento Europeu ao lado do seu homólogo italiano, Pier Carlo Padoan.

“Ninguém foi forçado a nada”, assinalou o ministro germânico, acrescentando que a Alemanha “mostrou solidariedade no passado e está disposta a continuar a fazê-lo”, mas que, se “a solidariedade é necessária, as regras também o são”. Questionado sobre se a Alemanha é o primeiro da classe na zona euro, o titular da pasta das Finanças disse que o seu país “cumpre as regras devido às lições trágicas extraídas da história do século XX”. “É uma coisa muito alemã. Precisamos de um controlo jurídico das decisões, mesmo quando são tomadas por maioria. É um estímulo para que nunca esqueçamos o que aconteceu”, acrescentou Schäuble.

Enquanto isso, o ministro italiano sublinhou aos eurodeputados que, para uma melhor governação económica na União Europeia, é necessária uma maior coerência entre os 19 Estados-membros [da zona euro] e Bruxelas, e defendeu que Itália é um membro disciplinado da zona euro. “Há uma perceção geral de que a Itália quebra as regras, mas não é assim. Estamos numa fase preventiva, não corretiva”, adiantou.