A UNESCO condenou hoje a “destruição” da antiga cidade de Hatra, situada no norte do Iraque, pelo movimento extremista Estado Islâmico (EI), que nas últimas semanas destruiu valioso património arqueológico iraquiano. “A destruição de Hatra é um ponto de viragem na assustadora estratégia de limpeza cultural que está em curso no Iraque”, disse em comunicado a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, referindo-se à destruição do património cultural do Iraque por parte dos ‘jihadistas’ do IE.

Classificadas como Património Cultural da Humanidade pela UNESCO, as ruínas de Hatra, com cerca de 2.300 anos, foram destruídas pelo EI, que recentemente também devastou Nimrud, um dos principais sítios arqueológicos do país e uma das cidades mais importantes da antiga Mesopotâmia, assim como o Museu da Civilização de Mossul.

Em Bagdad, o Ministério do Turismo e Antiguidades também já condenou a destruição da cidade de Hatra, localizada cem quilómetros a sudoeste de Mossul, a segunda maior cidade do Iraque, que se encontra sob controlo do IE. O secretário-geral da ONU já tinha condenado veementemente os atos do EI: “A destruição deliberada da nossa herança cultural comum constitui um crime de guerra e um ataque contra a humanidade como um todo”, disse Ban Ki-moon.