Língua

Pronome de género sexual “neutro” é adicionado aos dicionários suecos

141

O dicionário da Academia Sueca (SAOL) vai incluir na sua versão actualizada o pronome "hen", que se distingue por ter género sexual neutro, diz o The Guardian.

A nova versão do dicionário será lançada em abril

Inacio Rosa/LUSA

O dicionário da Academia Sueca (SAOL), vai introduzir, na sua versão atualizada, um pronome que se distingue por ter género sexual “neutro”, afirmam os editores da Academia Sueca, segundo o jornal inglês The Guardian.

A palavra “hen” é uma das 13.000 novas palavras a ser introduzida na nova edição do dicionário da Academia Sueca (SAOL) e será usada para fazer referência a uma pessoa sem revelar o seu género. A situação pode ocorrer em casos em que o género é desconhecido, quando a pessoa em questão é transgénero, ou quando o sexo da pessoa em causa é uma informação irrelevante para determinado contexto.

O pronome “hen” foi cunhado em 1960, quando o uso generalista de “han” (ele) se tornou politicamente incorreto. Surgiu nessa altura a necessidade de criar um novo pronome que transcendesse a divisão por vezes redutora de “ele”/”ela”. Contudo, a palavra não teve muito uso, diz o The Guardian.

Por volta dos anos 2000, a pequena comunidade transgénero do país resgatou a sua utilização que foi aumentando em termos de popularidade, sendo agora adicionado aos restantes pronomes “han” (ele) e “hon” (ela), dissociando-se progressivamente da inicial conotação feminista.

A Academia Sueca atualiza os seus dicionários de dez em dez anos e as novas palavras adicionadas são determinadas pela sua popularidade em termos de utilização e pela sua relevância. A nova versão do dicionário será lançada em abril.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Politicamente Correto

Os sem palavras /premium

Helena Matos
1.747

Nada é dito directamente: os trabalhadores são colaboradores e os deficientes pessoas portadoras de deficiência. Somos os perifrásticos. E o PSD enquanto "não esquerda" é a perífrase por excelência.

Crónica

Até para a semana, se Deus quiser! /premium

Laurinda Alves
2.670

Encanta-me que toda e qualquer pessoa possa despedir-se dos outros com liberdade com um “até amanhã se Deus quiser”. Se isso for o que de melhor tem para lhes oferecer, quem sou eu para condenar?

Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)