459kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Simulação em 3D explica o que se terá passado no voo do Airbus 320

Este artigo tem mais de 5 anos

Uma simulação em 3D, criada pela cadeia de televisão britânica ITV News, recriou em 44 segundos os últimos momentos que antecederam a queda do Airbus 320.

Sucedem-se as homenagens às 150 vítimas da queda do Airbus 320
i

Sucedem-se as homenagens às 150 vítimas da queda do Airbus 320

AFP/Getty Images

Sucedem-se as homenagens às 150 vítimas da queda do Airbus 320

AFP/Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma simulação em 3D, criada pela cadeia de televisão britânica ITV News explica, com base na opinião de especialistas, aquilo que poderá ter acontecido no voo do Airbus 320 que ligava Barcelona a Düsseldorf.

Num primeiro momento vê-se o piloto a abandonar o cockpit e a fechar a porta atrás de si. Imediatamente o sistema de segurança é acionado. Depois, Andreas Lubtiz, o copiloto que terá provocado a queda deliberada do avião, toma o controlo do aparelho e começa a trajetória descendente a um ritmo de mil metros por minuto (o avião seguia a 11 mil metros de altitude).

Quando o piloto tenta regressar à cabine – é ainda desconhecido o motivo que terá levado o comandante a abandonar o cockpit, deixando Lubitz sozinho – o acesso é-lhe negado a partir do interior, através de um mecanismo de segurança complexo. O sistema foi adotado no pós-11 de setembro e prevê a possibilidade do piloto que está no interior do cockpit impedir sempre a entrada de quem tenta aceder.

Sabe-se agora que o piloto terá tentado forçar a entrada e derrubar a porta com um machado. Entretanto, surgiu uma gravação áudio – não confirmada oficialmente – que se acredita ser dos últimos 60 segundos do voo 4U 9525.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Até ao final, e de acordo com o que foi possível apurar através dos registos da caixa negra, ouvem-se quatro sons distintos: o sistema de alarme de aproximação perigosa, os gritos dos passageiros que seguiam a bordo, as tentativas do piloto de derrubar a porta de segurança e o silêncio pautado apenas pela respiração, aparentemente calma, de Andreas Lubitz.

O que se sabe até agora: neste momento da investigação, a hipótese mais provável é que o copiloto tenha provocado de forma deliberada a queda do Airbus 320 na região dos Alpes;  o Ministério Público alemão encontrou um atestado médico rasgado na casa de Andreas Lubitz; o copiloto terá escondido a depressão grave de que sofria da companhia aérea. A Lufthansa já anunciou a adoção da regra que obriga que estejam sempre duas pessoas em simultâneo no cockpit; o acidente de viação é considerado o mais grave em solo francês e um dos piores da história da aviação europeia. Morreram 150 pessoas.

This is what experts believe happened in the moments before the Germanwings plane came down in the French Alps

Posted by ITV News on Jueves, 26 de marzo de 2015
A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.