Em nove centros de saúde na região de Lisboa e Vale do Tejo, oito no Norte, oito no Centro, seis no Alentejo e quatro no Algarve os utentes já contam com um enfermeiro de família, informou esta sexta-feira a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

Neste momento estão já em desenvolvimento as experiências piloto em 35 unidades funcionais no âmbito dos cuidados de saúde primários, designadamente em Unidades de Saúde Familiar (USF) e Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP), como tinha ficado regulamentado na portaria publicada no início de fevereiro.

A figura do Enfermeiro de Família “visa implementar um novo modelo organizacional e de prestação de cuidados de enfermagem centrado na comunidade, com o propósito de melhorar os resultados em saúde, através da prestação de cuidados de saúde de maior proximidade aos cidadãos”, lê-se no comunicado da ACSS.

Este processo vai ser avaliado ao longo dos próximos dois anos e permitir identificar as diferenças em melhores resultados nas unidades em teste.

Do rol de competências dos enfermeiros de família fazem parte os programas de vigilância, educação e promoção da saúde, o Programa Nacional de Vacinação, a Deteção Precoce de Doenças não Transmissíveis, os programas de Gestão do Risco e da doença crónica, os Programas de Visitação Domiciliária, bem como outros programas adequados à realidade sociodemográfica onde a Unidade de Saúde se insere.

Cabe ao enfermeiro de família, assim como acontecia até aqui apenas com o médico de família, focar-se na família como um todo e nos membros da família individualmente, prestando cuidados nas diferentes fases da vida da família, e envolvendo os utentes ativamente na gestão da sua saúde, ou doença, consoante a situação em que estejam.

A própria Organização Mundial de Saúde (OMS) defende a criação do enfermeiro de família e alguns países europeus já tinham esta figura. Em Portugal tinha sido criado em 2012 pelo Governo um grupo de trabalho multidisciplinar para estudar esta questão e o diploma que cria a figura do enfermeiro de família foi publicado em agosto do ano passado. Mas só no início deste ano foi regulamentado.

A ACSS informa ainda que em 2015 foram já contratados mais de 500 enfermeiros por instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS), além do procedimento concursal publicado recentemente para mil postos de trabalho. Por este andar se espera que “a previsão do Ministério da Saúde em contratar dois mil enfermeiros este ano será ultrapassada”.