Vários ativistas sírios e um médico reportaram, esta quinta-feira, a suspeita de novos ataques com armas químicas no noroeste da província de Idlib na Síria. Os ataques terão deixado dezenas de pessoas asfixiadas, conta o Guardian.

De acordo com o médico Mohammed Tennari, foram reportados pelo menos três ataques separados na província de Idlib, de que resultaram cerca de 80 feridos.

Tennari é coordenador da Sociedade Médica Síria Americana, que envia médicos voluntários para tratar as vítimas de ataques na Síria. O médico comunicou à The Associated Press que terá trocado relatórios de campo com médicos das três localizações atingidas: Janoudieh, Kansafrah e Kafr Batiekh. Segundo os relatórios, o Governo sírio, liderado por Bashar al-Assad, terá atirado vários barris com cloro de helicópteros.

Em março terá havido um outro ataque com armas químicas na mesma província, que matou três crianças e um adulto, afirmou também o médico.