Política

Partidos políticos têm 27,3 milhões em imóveis isentos de IMI

6.312

O partido mais rico em imóveis é o PCP. Isenção de IMI está na lei, mas se todos os partidos pagassem este imposto, Estado arrecadaria cerca de 1 milhão de euros.

JOSE SENA GOUL

Autor
  • Helena Pereira

Os cinco maiores partidos políticos têm 27,3 milhões de euros em imóveis, segundo os relatórios de contas relativos a 2014 entregues no Tribunal Constitucional. Estes imóveis estão isentos do pagamento do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), mas se o pagassem o Estado poderia arrecadar cerca de 1 milhão de euros – isto tendo em conta o valor deste imposto praticado na maior parte dos municípios (o,4%) e que os partidos declaram no seu balanço o montante igual ao verdadeiro valor patrimonial tributável.

O partido mais rico em imóveis volta a ser o PCP. Declarou 12,3 milhões de euros. De seguida, aparece o PS com 7,2 milhões, o PSD com 5,9 milhões, o BE com 1,4 milhões e o CDS com 574 mil euros. Na esmagadora maioria dos casos, estes imóveis dizem respeito a sedes dos partidos espalhadas pelo país.

A isenção de IMI é um dos benefícios concedidos aos partidos através da Lei de Financiamento dos Partidos Políticos e, em 2013, o Movimento Revolução Branca apresentou uma ação em tribunal em que acusava o Estado de ter dois pesos e duas medidas em matéria de benefícios fiscais, pedindo que os partidos percam esse direito.

De acordo com a Lei de Financiamento, os partidos estão também isentos de pagamento do imposto de selo, imposto sobre sucessões e doações, contribuição autárquica sobre o valor tributável dos imóveis ou de parte de imóveis de sua propriedade e destinados à sua atividade, imposto automóvel nos veículos que adquiram para a sua atividade, IVA na aquisição e transmissão de bens e serviços que visem difundir a sua mensagem política.

As isenções de IMI, contudo, não são exclusivas dos partidos. Também têm direito a elas os sindicatos, associações patronais, instituições privadas de solidariedade social, estádios de futebol e edifícios classificados.

* Artigo atualizado com valor relativo ao CDS e consequente valor final.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Obituário

O meu amigo Augusto Cid

Alexandre Patrício Gouveia
140

Sem Augusto Cid Camarate teria, para sempre, sido descrito como mero acidente, e os portugueses teriam vivido com uma mentira relativamente à morte do seu primeiro-ministro e do seu ministro da Defesa

CDS-PP

O peso das escolhas

Miguel Alvim

O único, exclusivo e fundamental ponto é este sinal imensamente negativo dado à sociedade: é que, afinal, parece que o cargo não executivo na Galp é mais importante do que ser vice-presidente do CDS.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)