Ele disse e cumpriu-se. Em 1973, o líder cubano Fidel Castro fez uma previsão. Questionado sobre como seriam as relações com os EUA logo após a tomada de posse de Richard Nixon na presidência norte-americana afirmou: “Os Estados Unidos dialogarão com Cuba quando tiverem um presidente negro e houver um Papa latino-americano”, lembra o Clarin.

Quarenta anos depois, as palavras de Fidel Castro confirmaram-se e quem as recorda é o jornalista argentino Pedro Jorge Solans, depois de um taxista chamado Eduardo de la Torre lhe ter lembrado esse momento. Na altura, Fidel Castro era primeiro-ministro em Cuba há catorze anos. E se alguns se riram nas previsões do líder cubano, outros pensaram que poderia existir algo premonitório naquelas palavras.

Claro que o foco da discussão não era esse em 1973. “Interessava mais o fim da guerra no Vietname”, disse o taxista a Pedro Solans, “mas como não acreditar no homem que ressuscitou mais vezes que Jesus Cristo?”, continuou. E hoje que Barack Obama está na liderança dos Estados Unidos e é o argentino Jorge Mario Bergoglio que assume o mais alto cargo da Igreja, pudemos assistir à reabertura das embaixadas em ambos os países.