Confirmada a divisão no Syriza. Vinte e cinco deputados da linha mais dura do Syriza anunciaram esta sexta-feira que vão abandonar o partido de Alexis Tsipras e formar o seu próprio movimento, criando assim o terceiro maior bloco no Parlamento grego, a seguir ao Syriza e à Nova Democracia, e acabando definitivamente com a maioria da coligação governamental.

O novo partido chamar-se-á Unidade Popular e vai ser liderado pelo ex-ministro da Energia, Panagiotis Lafazanis, o líder da fação mais à esquerda do Syriza, a Plataforma de Esquerda – mas sem contar com Varoufakis e a muito crítica presidente do Parlamento grego.

Lafazanis, que admitiu publicamente que tinha um plano para tirar a Grécia do euro que envolvia apreender as reservas de notas do banco central e até, em caso de desobediência, a prisão do governador do banco central, opôs-se desde o início a um acordo com os credores e votou sempre contra as medidas do novo resgate.

Com 25 deputados, a Unidade Popular será a terceira maior força no Parlamento grego, com mais deputados que a Aurora Dourada e o To Potami, que têm apenas 17 cada.

A decisão é formalmente tomada um dia depois de Alexis Tsipras ter anunciado o seu pedido de demissão e a convocação de eleições antecipadas.