Uma carta escrita por Sir Cosmo Duff-Gordon, um dos mais famosos sobreviventes da viagem inaugural do Titanic, vai ser leiloada em Nova Iorque no final do mês, refere o Telegraph. A mensagem, escrita à mão pelo secretário de Duff-Gordon, Mabel Francatelli, deverá atingir os 5.468,22 euros.

A carta, escrita por Francatelli, tinha como remetente outro passageiro, o norte-americano Abraham Lincoln Salomon, e foi escrita depois do de Duff-Gordon ter sido interrogado pela Scotland Yard, em Londres. “Esperamos que já tenha recuperado daquela experiência horrível. Temo que ainda estejamos muito enervados, uma vez que tivemos de passar por tantas complicações e ansiedades durante o interrogatório que nos foi feito injustamente assim que chegamos a Londres”, refere a mensagem.

Sir Cosmo Duff-Gordon, a sua mulher, Lady Lucy, e o seu secretário foram três dos cerca de 710 passageiros que sobreviveram ao naufrágio do Titanic, o navio irlandês que afundou a 15 de abril de 1912, a norte do Oceano Atlântico. Os três estavam entre os passageiros que embarcaram no bote salva-vidas número um, com capacidade para 40 pessoas, e foram os únicos a ser interrogados pela Scotland Yard.

Depois de terem chegado a Londres, Duff-Gordon e a família foram acusados de terem pago para passar à frente de crianças e mulheres, que tinha prioridade no acesso aos botes salva-vidas. Durante o interrogatório realizado pela polícia inglesa, o aristocrata admitiu ter subornado a tripulação. O escândalo foi tal que, de acordo com o Telegraph, Duff-Gordon nunca mais saiu de casa.

Apesar do incidente envolvendo Duff-Gordon, ao contrário do que geralmente se pensa, os passageiros mais abastados não tiveram acesso privilegiado aos botes salva-vidas. Cerca de 25 minutos depois de o Titanic ter embatido contra o icebergue, o comandante, Edward Smith, ordenou que os barcos de salvamento fossem disponibilizados. No seguimento desta ordem, Smith deu ordens para que as crianças e mulheres tivessem prioridade no acesso aos botes.

A ordem foi seguida demasiado à risca pela tripulação, que chegou mesmo a impedir a entrada de alguns homens nos barcos, apesar de ainda existirem lugares vagos. O naufrágio do Titanic provocou a morte de cerca de 1.635 pessoas. Cerca 17% pertenciam à primeira classe.

A carta de Cosmo Duff-Gordon vai ser leiloada pela Lion Heart Autographs a 30 de setembro em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América.