Governo

Schauble espera por confirmação de garantias sobre contas portuguesas

490

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schauble, espera retribuir os cumprimentos ao novo governo português quando se confirmarem as garantias das contas por parte de Mário Centeno.

LAURENT DUBRULE/EPA

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schauble, afirmou esta terça-feira esperar poder retribuir os cumprimentos ao novo governo português quando se confirmarem as garantias dadas em Bruxelas pelo novo ministro das Finanças português, Mário Centeno.

Questionado na conferência de imprensa depois da realização da reunião do Eurogrupo e do Ecofin, Schauble começou por lembrar a “relação de confiança muito boa” que manteve com António Costa, enquanto ministro de Estado e da Administração Interna (2005-2007).

“Ele (António Costa) enviou-me os seus cumprimentos através do meu novo colega (Mário Centeno). E se o meu colega cumprir aquilo que disse, ele também vai receber os meus cumprimentos”, afirmou o ministro alemão. Como é habitual, o novo titular das Finanças “apresentou o programa do novo governo, como é habitual no Eurogrupo, e disse que Portugal vai cumprir as suas obrigações no Pacto de Estabilidade”, relatou Schauble, acrescentando que “está tudo bem”.

O ministro alemão ainda notou que, tal como a sua antecessora, Maria Luís Albuquerque, Mário Centeno também se senta ao seu lado nas reuniões dos ministros responsáveis pela Economia e Finanças dos Estados-membros da União Europeia (Ecofin). Mário Centeno participou pela primeira vez, esta segunda-feira, na reunião dos países da zona euro (Eurogrupo). Lembrou ainda a boa relação de trabalho que manteve com António Costa quando este era também ministro.

Aos jornalistas portugueses, o governante referiu que o projeto de Orçamento do Estado para 2016 “vai ser entregue no início de janeiro (em Bruxelas), em consonância com o trabalho que o Governo vai realizar também para apresentar o mais depressa possível no parlamento português”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Podemos falar de coisas sérias?

Salvador Furtado
311

Outubro já não está assim tão distante, e o governo sabe isso. Mas o assunto da maior carga fiscal de sempre? E o da corrupção? E o de sermos um dos países com um dos piores crescimentos da zona euro?

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)