A NOS interpôs esta terça-feira uma providência cautelar contra a Meo no sentido de voltar a poder transmitir o Porto Canal na sua grelha, avança o jornal “O Jogo”. O objetivo é a NOS recuperar os direitos de transmissão daquele canal, suspensos pela Meo na quinta-feira. De acordo com o Diário Económico, a ação judicial visa também a FCP Media, dona do Porto Canal.

Segundo o Económico, para avançar a providência cautelar ainda terá de ser aceite pelo tribunal. Se for para a frente, a ação obrigará a Meo (propriedade da PT) a libertar o sinal do Porto Canal para a NOS durante pelo menos um mês. Se depois não houver acordo entre as partes, a NOS terá de avançar com uma acção definitiva contra a PT.

A FCP Media, que também é alvo da providência cautelar, é uma participada do Grupo Futebol Clube do Porto e tem a Medialuso como sócia minoritária.

A MEO suspendeu o acesso da NOS ao sinal do Porto Canal na última quinta-feira, justificando a decisão com a “ausência de contrapropostas concretas” para a distribuição do canal em causa. O Porto Canal emitiu um comunicado em que afirmava que o contrato com a NOS tinha caducado a 31 de dezembro de 2014, não tendo sido renovado automaticamente por vontade da operadora, lembra o jornal O Jogo.