Um em cada três desempregados em Portugal (64,2%) continuaram sem trabalho no segundo trimestre de 2015, acima da média da União Europeia (UE 62,7%), e 19,8% tinham arranjado emprego (UE 17,9%), segundo o Eurostat.

Segundo os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE sobre o fluxo no mercado de trabalho no segundo trimestre de 2015, houve ainda 16% de portugueses que transitaram para uma situação de inatividade económica (19,4% na UE).

A Grécia (93,6%) está no topo da lista dos países em que mais desempregados se mantiveram sem trabalho, seguindo-se a Eslováquia (87,6%), Croácia (85,8%) e Chipre (73,2%), enquanto a Finlândia (39,9%), a Dinamarca (44%),a Itália (44,2%) e a Suécia (46%) apresentam as taxas mais baixas.