236kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Socialistas recusam aliança com Podemos: "Não, obrigado."

Este artigo tem mais de 4 anos

O Podemos propôs esta terça-feira uma aliança aos socialistas para as próximas eleições gerais, marcadas para 26 de junho. PSOE respondeu de imediato: "Não, obrigado."

i

JAVIER LIZON/EPA

JAVIER LIZON/EPA

“Não, obrigado.” Foi esta a resposta de Pedro Sánchez, secretário-geral do espanhol PSOE, à proposta lançada por Pablo Iglesias, líder do Podemos. Iglesias queria avançar com listas conjuntas nas próximas eleições gerais, marcadas para 26 junho, para o Senado – a câmara alta do Parlamento espanhol.

O Conselho de Cidadãos do Podemos enviou uma carta ao comité federal dos socialistas, a propor uma “aliança para as eleições ao Senado”, conta o El País. O PSOE respondeu “não” esta terça-feira e o movimento Podemos pediu aos socialistas que reconsiderem a sua posição. Mais: o Podemos alarga a proposta a “todos os atores sociais e políticos que defendam uma mudança progressista”.

A resposta foi dada primeiro ao Podemos, logo pela manhã, numa conversa telefónica “cordial” entre os dois líderes, segundo revelou Pablo Iglesias aos jornalistas. “Disse-me à partida que não estava de acordo com a nossa proposta e pedi-lhe que reconsiderasse”, revelou o líder do Podemos.

Mais tarde, Pedro Sánchez tornou a decisão pública, numa entrevista à estação de televisão, Cuatro:

Não, obrigado.” “O PSOE é um partido com um projeto autónomo e distinto do do senhor Iglésias.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pedro Sánchez acusou o líder do Podemos de não estar verdadeiramente preocupado com as desigualdades, mas sim com os cargos. “Se quisesse de verdade acabar com o Governo do PP, o senhor Iglésias tinha tido uma excelente oportunidade, mas votou contra um Governo do PSOE”, frisou o secretário-geral dos socialistas.

O número dois do Podemos, Íñigo Errejón, reforçou na sua conta de Twitter a proposta do Podemos. “Oferecemos ao PSOE um acordo para uma candidatura conjunta ao Senado. Estendemos a mão para que o PP não possa bloquear um Governo de mudança”, lê-se no seu post.

Mas para Pedro Sánchez, a proposta não passa de uma “operação de marketing para se poder dizer que o PSOE não quer entender-se com o Podemos”. O dirigente socialista lembra que “aqueles que agora estão a pedir e a dizer que querem ser nossos aliados, nos dias 2 e 4 de março votaram contra um candidato socialista”.

A ideia do Podemos seria conseguir uma maioria no Senado que permitisse responder à maioria do PP no Congresso. Com a votação obtida para o Congresso, o PP consegue um número de lugares no Senado suficiente para impedir o processo legislativo de um Governo de alternativa.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.