Agosto teve a temperatura máxima mais alta desde 1931, igualando os valores registados em agosto de 2003, ano em que se verificou a maior área ardida em Portugal.

De acordo com um comunicado do Instituto Português Mar e da Atmosfera (IPMA), o valor máximo da temperatura em agosto atingiu 32.2 graus, o que representa mais 3.4 graus centígrados do que o valor normal verificado no período entre 1971-2000 para o mesmo mês. Julho e agosto de 2016 igualaram o valor mais alto de temperatura máxima mensal de agosto de 2003 (32.2 °C). Estes são os únicos três meses que registam valores acima de 32 graus.

Em relação à temperatura média foi o quinto mês de agosto mais quente, atrás de 2003, 1949, 2010 e 2005. O valor da temperatura mínima esteve ligeiramente acima do normal, posição 19 ª nos 86 anos considerados. A temperatura média do ar, 24.2 °C, esteve dois graus acima do valor normal para 1971-2000. A temperatura mínima de 16.1 °C correspondeu a uma anomalia positiva de 0.6 °C.

O IPMA classifica este verão como muito quente e seco. O verão 2016 (junho, julho, agosto) em Portugal Continental foi caracterizado por valores da temperatura média do ar muito superiores ao valor normal e valores da quantidade de precipitação muito inferiores. E é o quinto verão mais seco desde 1931. Os níveis da precipitação ocorridos de junho a agosto, cerca de 20 milímetros, correspondem apenas a 30% do valor médio.

Desde 1931, seis dos 10 verões mais quentes ocorreram depois do ano 2000, sendo o verão de 2005 o mais quente em 86 anos.