Há mais uma mulher a acusar Donald Trump de abusos sexuais. Depois dos relatos de Jessica Leeds, Rachel Crooks e outras mulheres, agora foi Kristin Anderson, de 46 anos, a denunciar ao The Washington Post que o candidato republicano à presidência norte-americana a assediou na década de 90.

O episódio não durou mais de 30 segundos, diz ela. Kristin estava numa discoteca em Nova Iorque quando, durante uma conversa com alguns conhecidos, sentiu alguém a colocar a mão por dentro da sua minissaia e a tocar na sua vagina através das cuecas. Imediatamente, a mulher afastou a mão e saiu do local onde estava, e só nesse momento é que se apercebeu de que o homem era Donald Trump. “Tem um ar muito distinto, com o cabelo e as sobrancelhas”, explica Kristin ao jornal americano.

Na altura, ela e as amigas pensaram “ok, o Donald é grosseiro, já sabemos, vamos passar à frente”. A mulher contou a história a várias amigas, pelo que o episódio acabou por chegar, agora, à imprensa norte-americana. “Sempre me mantive em silêncio, mas porque é que me devia manter em silêncio? Todas as mulheres deviam falar, se forem tratadas de forma inadequada. Vão às autoridades e à imprensa e apresentem queixa”, argumenta Kristin.

Um porta-voz da campanha de Trump já veio negar esta acusação, garantindo que se trata de uma história “de alguém que quer publicidade gratuita, e que é totalmente ridícula”.