Num gesto invulgar e inusitado, Donald Trump sugeriu que o líder do UKIP e um dos principais defensores do Brexit, Nigel Farage, poderia ser o embaixador do Reino Unido em Washington D.C.. “Muitas pessoas gostariam de ver Nigel Farage a representar o Reino Unido como seu embaixador nos EUA. Ele faria um grande trabalho”, escreveu Donald Trump na sua conta de Twitter.

Em declarações à Associated Press, Nigel Farage reagiu de forma positiva às declarações do vencedor das eleições norte-americanas. “Estou muito lisonjeado pelos comentários e tenho dito que desde que conheci o Presidente eleito que gostaria de fazer o que for necessário para agir de uma forma positiva que ajude as relações entre os nossos dois países”, disse o líder do UKIP.

Bem diferente foi a reação do Governo britânico, que reagiu às declarações de Donald Trump. “Não há nenhuma vaga aberta”, disse um porta-voz do número 10 de Downing Street. “Nós já temos um excelente embaixador dos EUA.”

A relação entre Donald Trump e Nigel Farage é bem conhecida e pautada pela troca de elogios de parte a parte. Recentemente, o líder do UKIP foi o primeiro político estrangeiro a visitar o vencedor das eleições norte-americanas. “Foi uma honra enorme passar tempo com Donald Trump. Ele estava relaxado e cheio de boas ideias. Estou certo de que ele vai ser um bom Presidente”, escreveu Nigel Farage no Twitter, juntamente com uma fotografia do momento em que esteve com Donald Trump na Trump Tower, em Nova Iorque.

Em agosto, Nigel Farage discursou num comício de campanha Donald Trump. Nessa ocasião, exaltou o resultado do referendo do Brexit, em que 51,9% dos britânicos votaram pela saída do país da União Europeia. “Nós fomos até àquelas pessoas que nunca votaram nas suas vidas e que acreditavam que podiam voltar a controlar o seu país, voltar a controlar as suas fronteiras, e voltar a ter o seu orgulho e respeito próprio”, disse, numa mensagem em tudo semelhante àquela que Donald Trump fez por passar ao longo da sua campanha.

Antes de tudo isto, 24 de junho, apenas um dia depois do referendo do Brexit, Donald Trump visitou a Escócia a pretexto da reabertura de um dos seus campos de golfe. Ainda assim, todas as atenções foram para o resultado daquela consulta popular, festejados também pelo então vencedor das primárias republicanas. “Acho que o que aconteceu é ótimo, foi uma votação espetacular, muito histórica”, disse. “Estamos muito felizes.”