Um estudo levado a cabo por investigadores da Universidade de Quioto, no Japão, revelou, que tanto os cães como os macacos possuem um grande sentido de justiça e moralidade, o que faz com que sintam mais simpatia pelas pessoas que fazem boas ações e agem de acordo com aquilo que está correto, conta a revista New Scientist.

A investigação, publicada recentemente pela Neuroscience and Biobehavorial Reviews, baseou-se em várias versões de um exercício experimental protagonizado por três pessoas. Primeiro, começaram por tentar provar se os macacos têm alguma preferência ou gostam mais das pessoas que ajudam os outros. Para isso, um desses animais presenciou a simulação de uma pessoa com dificuldade em abrir um recipiente com um brinquedo lá dentro. De seguida, foi dada essa embalagem a uma segunda pessoa que, umas vezes a ajudava, e outras vezes se recusava a tal. A terceira pessoa estava a assistir e estava encarregada de intervir caso alguma coisa corresse mal.

A resposta e reação por parte do animal só surgiu mais tarde, quando as duas pessoas da simulação anterior lhe deram comida. O macaco teve receio de aceitá-la da pessoa que se havia negado a oferecer ajuda. Já no que diz respeito à comida dada pela pessoa simpática, não mostrou qualquer hesitação. Os cães tiveram exatamente a mesma reação.

A equipa de cientistas resolveu investigar ainda o sentido de justiça dos cães e dos macacos. Para isso, foi feito outro teste, desta vez utilizando bolas. Uma pessoa pediu que outra lhe lançasse três bolas. Depois disso, a primeira pessoa voltou a pedir que as bolas lhe fossem lançadas. E assim sucessivamente. No entanto, havia vezes em que as bolas eram mesmo lançadas e outras em que isso não acontecia.

Os macacos mostraram também ter mais confiança e recetividade à pessoa que lhes passou mais vezes as bolas.

De acordo com declarações de James Anderson, psicólogo e um dos principais autores da investigação, os resultados dos vários exercícios mostraram que os macacos e os cães fazem avaliações e julgamentos sociais de uma forma semelhante ao dos seres humanos. “Se alguém demonstra um comportamento anti social, eles [macacos e cães] vão acabar por cortar as relações emocionais com essa pessoa”, revelou Anderson, em declarações à New Scientist, acrescentando ainda que o nosso próprio sentido de moralidade se baseia nos nossos instintos e pode até descender e ter raízes nos comportamentos e reações dos primatas.