A aplicação Facezam assustou os utilizadores na Internet ao indicar que conseguia, através de uma fotografia, identificar a cara de qualquer pessoa, comparando-a com a foto de perfil do Facebook. A verdade é que esta suposta aplicação nunca chegou a existir, tendo-se tratado de uma estratégia de marketing da empresa Zacozo, onde os criativos têm como objetivo ajudar empresas a ganharem reconhecimento a nível internacional.

https://twitter.com/FacezamApp/status/841818294885744642

A ideia da Facezam seria identificar qualquer pessoa através de uma fotografia, que podia até ser tirada enquanto caminhava casualmente pela rua, e conduzir o utilizador até ao perfil do Facebook dessa pessoa. A aplicação foi falada pela Internet fora mas, na verdade, a app nunca existiu.

A estratégia de marketing da agência Zacozo cumpriu aquilo que a empresa promete: tornar uma ideia viral. Depois de ser identificada como uma estratégia de marketing, o Facebook informou que tal aplicação iria sempre violar a política de privacidade da maior rede social do mundo.

“As pessoas confiam em nós para proteger a sua privacidade e manter a informação segura. Esta atividade iria violar os nossos termos”, declarou o Facebook ao The Telegraph.

Esta foi uma brincadeira que acabou por atingir o objetivo principal, tornar-se viral, mas que deixou muitas pessoas preocupadas com a sua privacidade.

“Esperemos que o relatório sobre o Facezam esteja errado. Se não estiver, se as pessoas conseguirem dar a volta às medidas de segurança do Facebook, pessoal estamos com problemas”.

“O meu novo look casual se a aplicação Facezam for real. Quer dizer, já todos fizemos um pequeno stalking no Facebook mas isto é simplesmente assustador certo?”, comentava uma utilizadora.