O vice-presidente norte-americano, Mike Pence, deslocou-se esta segunda-feira à zona desmilitarizada entre as duas Coreias, um dia depois de Pyongyang falhar o lançamento de um míssil. Pence chegou de helicóptero ao campo militar Bonifas, um posto das Nações Unidas sob liderança norte-americana e fortemente vigiado, situado a poucos metros da zona desmilitarizada entre os dois países. E, num encontro com jornalistas, deixou um aviso: “o tempo da paciência estratégica acabou”, numa mensagem claramente dirigida à Coreia do Norte. Ao mesmo tempo, reforçou que o compromisso com o país vizinho é “inabalável”.

Pence deve deslocar-se à localidade fronteiriça de Panmunjon, onde foi assinado o cessar-fogo de 1953 e que fica junto a uma das fronteiras mais militarizadas do mundo. A tensão aumentou particularmente nas últimas semanas entre os Estados Unidos e o regime de Pyongyang, na sequência de vários lançamentos de mísseis por parte da Coreia do Norte, que levaram ao destacamento do porta-aviões norte-americano ‘Carl Vinson’ e a frota de contratorpedeiros e cruzadores na península coreana.

Na quinta-feira, o Presidente norte-americano, Donald Trump, sublinhou a sua determinação em resolver “o problema” norte-coreano e em impedir o regime de Kim Jong-un de desenvolver um míssil intercontinental capaz de atingir os Estados Unidos. A visita do vice-presidente dos Estados Unidos à fronteira coreana surge como resposta ao último lançamento de um míssil, por Pyongyang, no domingo de manhã, que fracassou.

Mike Pence classificou este teste de “provocação”, perante cerca de 28.500 militares norte-americanos estacionados na Coreia do Sul. “Toda a gama de ferramentas está à disposição do Presidente norte-americano, caso ele decida utilizá-las”, disse, no domingo, um conselheiro para matérias de política externa da Casa Branca, sem descartar uma opção militar.

No sábado, antes do desfile militar organizado para comemorar o 105.º aniversário do nascimento do fundador da Coreia do Norte, Kim Il-Sung, o “número dois” do regime norte-corano, Choe Ryong-hae, prometeu que a Coreia do Norte estava preparada para dar “uma resposta nuclear a qualquer ataque nuclear”. Pence vai reunir-se ainda esta segunda-feira com o presidente em exercício da Coreia do Sul, Hwang Kyo-ahn, para debater o programa nuclear de Pyongyang e o controverso sistema de defesa antimísseis norte-americano, denominado THAAD.

A Zona Desmilitarizada da Coreia é uma faixa de proteção da fronteira entre as duas Coreias. Com perto de quatro quilómetros de largura e 250 quilómetros de comprimento, a zona foi estabelecida em 1953, no final da Guerra da Coreia (1950-53) e é a mais militarizada do mundo.