São grandes em tamanho e por vezes controversas. Ou têm muitas toneladas ou são muito compridas. Quase nunca escapam às críticas. As obras de Joana Vasconcelos não passam despercebidas.

O lustre feito com tampões foi talvez a que mais polémica criou. Intitulada “A Noiva”, a obra estava integrada numa exposição no palácio de Versalhes em França. Joana Vasconcelos tornou-se a primeira artista portuguesa a expor naquele monumento nacional francês. Mas o lustre foi recusado e acabou por ser retirado da exposição.

Há o sapato feito de panelas, a pistola feita de telefones, o crochet a envolver objetos, o helicóptero com pás de plumas, o galo led. Há quem a adore, há quem a odeie.

No dia em que foi inaugurada a instalação da artista à entrada da Igreja da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima, intitulada “Suspensão”, recordamos outras obras de Joana Vasconcelos.