O ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls, que tentou ser o candidato presidencial pelo Partido Socialista, diz que o partido “está morto” e confirma que vai mudar-se para as fileiras do novo partido Republique en Marche (REM), de Emmanuel Macron, a tempo de ser candidato nas eleições legislativas. Um porta-voz de Macron já tinha indicado que o apoio de Valls seria bem-vindo.

“Eu serei candidato da maioria presidencial e gostaria de me inscrever neste movimento”, afirma Manuel Valls, em entrevista à RTL, esta manhã de terça-feira. O ex-primeiro-ministro de François Hollande lamenta que “o Partido Socialista [esteja] morto. Faz parte do passado. Temos de o superar”. Porque o partido “está morto” mas os “valores estão vivos”, Valls quer juntar-se ao REM.

Valls espera constar das listas que o partido de Macron deverá apresentar na quinta-feira, para as eleições legislativas de junho. Um porta-voz de Macron, Christophe Castaner, tinha explicado, momentos antes, que Valls terá de se candidatar ao partido e, mais tarde, Macron terá de escolher um candidato a primeiro-ministro, entre as suas listas.