Foram encontrados dois cadáveres nas últimas 24 horas no Central Park, em Nova Iorque. Ambos estavam a flutuar em dois lagos diferentes do parque. Não há, para já, indícios de crime.

O alerta para um cadáver a flutuar no Swan Lake, no centro do parque, foi dado esta quarta-feira por residentes e turistas. Os Serviços de Emergência da polícia de Nova Iorque retiraram do lago o cadáver de um homem de 36 anos, pelas 7h20 (12h20 em Lisboa). O corpo foi identificado como Anthone McAffe, um sem-abrigo, com histórico de depressão e tentativas de suicídio. A morte foi declarada no local.

O chefe das equipas de investigação da polícia nova-iorquina, Robert Boyce, garantiu numa conferência de imprensa que “não existem sinais de trauma ou indícios de crime”. Só a autópsia dará respostas. Confirmou também que as autoridades pensam não existir nenhuma relação com um outro corpo encontrado na terça-feira. Este é assim o segundo a ser encontrado no parque no espaço de 24 horas.

O primeiro cadáver foi encontrado, na terça-feira de manhã, em estado avançado de decomposição. As autoridades avançam que se tratava de um homem, entre os vinte e os trinta anos, e que terá estado no lago da Reserva Jacqueline Kennedy Onassis “mais de uma semana, talvez duas”. Também não mostrava sinais de trauma físico, o que “afasta a possibilidade de se tratar de um crime”.

Têm-se tornado cada vez mais raros estes acontecimentos. “O último [cadáver] foi encontrado em 2015” explica o porta-voz da polícia nova-iorquina. Apesar de terem sido encontrados dois cadáveres no espaço de 24 horas “não haverá ligação nenhuma entre os dois, e teremos que esperar pelo resultado das autópsias”.