Uma antevisão deste evento nunca poderia ser escrita ao som de outro tema que não o clássico “Latin’América”, dos não menos clássicos Jafumega. E é precisamente o que está a acontecer, pese a impossibilidade de o provar ao leitor.

Do Paraguai a Porto Rico
Salvador às Honduras
Da Bolívia à Guatemala
Argentina ao Chile

Latin’América, Latin’América
Latin’América, Latin’América

Por azar, nenhum dos países mencionados na letra do tema estar representado à mesa do Eleven na noite da próxima sexta-feira, 26 de maio. Mas apenas por azar, repita-se. Porque vêm chefes de Brasil, Chile, Peru e México. E dos bons. Além, claro, de uma seleção de excelentes congéneres nacionais. Agradeça-se, por isso, a quem nomeou Lisboa como capital Ibero-Americana da Cultura em 2017, porque é essa ocasião que serve de motivo ao jantar.

Os chefes

Comecemos por quem joga em casa: o anfitrião, chefe e sócio do Eleven, Joachim Koerper, vai receber três dos melhores chefes nacionais da atualidade. José Avillez, numa oportunidade única para o ver cozinhar em Lisboa fora do Chiado; Ricardo Costa, que alcançou no final do ano passado a segunda estrela para o restaurante do The Yeatman; e o algarvio Leonel Pereira, que deu nova vida (criativa e não só) ao São Gabriel desde que tomou as rédeas do restaurante em 2013.

Uma excelente oportunidade para ver José Avillez cozinhar em Lisboa…fora do Chiado. (foto: HENRIQUE CASINHAS / OBSERVADOR)

Porém, e sem qualquer desprimor para os chefs mencionados, os convidados transatlânticos são o grande atrativo do evento. Selecionados pela crítica gastronómica do Globo, Luciana Fróes, representam todos eles uma nova geração de profissionais que tem levado a gastronomia dos respetivos países a um reconhecimento inédito a nível mundial nos últimos anos. Comecemos pelo que faz a viagem mais curta. Jorge Muñoz é peruano mas chega de Barcelona, onde é o responsável pela cozinha do Pakta (uma estrela Michelin), o restaurante de cozinha nikkei de Albert Adrià, com as aspirações próprias a que o apelido obriga. Já a mexicana Elena Reygadas, que em 2014 foi considerada a melhor chefe feminina da América Latina, virá mostrar o que faz no seu Rosetta, o restaurante que abriu em 2010 na Cidade do México.

Elena Reygadas ganhou em 2014 o título de melhor chefe feminina da América Latina.
(foto: DR)

Seguimos com Rodolfo Guzmán, chefe chileno que fez parte da equipa de Andoni Luis Aduriz no Mugaritz antes de se dedicar a um estudo intensivo dos produtos e técnicas ancestrais usados ao longo da história no seu país, por povos indígenas como os Mapuche. O espelho desse trabalho está no restaurante Boragó, o 4º melhor da América Latina e 42º do mundo para a lista World’s 50 Best Restaurants. Finalmente, referência a Felipe Bronze, chefe brasileiro que tem uma relação próxima com a brasa em diversos contextos — da parrilla sul-americana ao yakitori japonês. O seu restaurante Oro mudou recentemente de localização, o que não o impede de já ostentar uma estrela Michelin, recebida no início deste mês.

O menu, harmonizado com vinhos da Herdade do Esporão, será composto pelos seguintes pratos:

Lulas Cozinhadas a Frio com Citrinos e Caviar (Leonel Pereira)
Caldeirada Nacional (Ricardo Costa)
Cataplana de Lavagante (Joachim Koerper)
Rabo-de-Boi (José Avillez)
Costela de Porco, Goiabada Picante e Tutu de Lentilha (Felipe Bronze)
Ice Brulée + Rose of the Year Sandwich (Rodolfo Guzmán)
Sobremesa (Jorge Muñoz)
Ervas Fresca, Azeite, Gelado de Alecrim, Mole Negro, Amendoim e Tomilho-Limão (Elena Reygadas)

O quê: Jantar da Mostra Ibero-Americana 2017
Onde: Eleven, Rua Marquês da Fronteira, Jardim Amália Rodrigues, Lisboa
Quando: 26 de maio às 20h
Quanto: 130€/pessoa, inclui menu de oito pratos harmonizado com vinhos da Herdade do Esporão
Reservas: 21 386 2211