A polícia brasileira confiscou 60 espingardas automáticas no aeroporto internacional do Rio de Janeiro na quinta-feira, que estavam na zona de carga, informaram as autoridades.

As armas foram encontradas num contentor juntamente com aquecedores de piscinas, na zona de carga do Aeroporto Internacional do Galeão. Quatro pessoas foram detidas, e um cidadão brasileiro está também a ser investigado em Miami, nos Estados Unidos, de onde o carregamento veio.

A polícia mostrou o material apreendido, numa conferência de imprensa, que incluía armas AK-47s e AR-15.

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, Roberto Sá, disse que um total de 250 espingardas automáticas foram confiscadas nos últimos cinco meses no estado. A apreensão de quinta-feira foi “a maior em dez anos” no estado do Rio de Janeiro, afirmou.

As autoridades indicaram que estão a investigar o tráfico de armas desde 2015, depois de conseguirem localizar a origem de uma arma usada no homicídio de um polícia.

As armas vão ser usadas pelas forças de segurança, que enfrentam dificuldades orçamentais, segundo informaram representantes da polícia. Há um ano as autoridades do Rio de Janeiro declararam estado de calamidade e têm tido dificuldade em pagar salários do setor público desde então, incluindo os dos agentes.