Saúde Pública

A ciência comprova: as segundas-feiras são do piorio

543

Não, não é só você. A segunda-feira é o dia mais "triste" para muitas pessoas e a ciência vem agora esclarecer como analisou 50 milhões de tweets por dia para chegar a esta conclusão.

O estudo permitiu identificar tendências interessantes além de constatar o óbvio: que ninguém gosta de segundas-feiras

PEXELS

Há uma aversão generalizada às segundas-feiras e não é só o gato Garfield que as odeia: esse dia é mau para todos e a ciência finalmente conseguiu prová-lo. Investigadores do Complex Systems Center da Universidade de Vermont analisaram cerca de 50 milhões de tweets por dia com algoritmos próprios de forma a medir a felicidade ao longo dos últimos nove anos. A felicidade e a disposição crescem ao longo da semana e caem drasticamente à segunda-feira, foi a conclusão a que chegaram.

Para milhões de pessoas em todo o mundo, a segunda-feira é dia de regressar ao trabalho, dia de preparar a semana e não é difícil de imaginar que ninguém goste de ver o fim-de-semana acabar literalmente de um dia para o outro. Nesta análise, o “hedonómetro” (como lhe chamaram) recolhe uma amostra de 50 milhões de tweets aleatórios — cerca de 10% dos tweets produzidos diariamente — e combina mais de 10 mil palavras para as filtrar e atribuir pontuação de 1 a 9. As palavras mais frequentemente utilizadas para exprimir tristeza ou angústia têm uma pontuação mais baixa e as palavras utilizadas para exprimir euforia ou felicidade uma pontuação mais elevada. Às palavras mais ambíguas é atribuída uma pontuação média.

Estes dados permitem avaliar com alguma coerência a forma como um grande número de pessoas reage a eventos mediáticos como a eleição de Donald Trump ou o tiroteio de Las Vegas a 2 de outubro, que fica marcado como “o dia mais triste do Twitter”. Também outras tendências são observadas: o dia de Natal, Ação de Graças, dia da Mãe e outras datas assinaladas por ataques terroristas entram para a história do Twitter.

Numa nota menos científica mas igualmente interessante, Jim Davis, o criador do icónico hater de segundas-feiras, Garfield, explica ao Huffington Post o porquê de o gato mais famoso do mundo gostar de lasanha e odiar segundas-feiras e também o que o seu sucesso diz das pessoas que se revêm no Garfield.

Os investigadores acreditam que a divulgação de mais e mais dados permitirá acelerar vários processos legislativos, nomeadamente no que diz respeito a leis do trabalho, salários, comparticipações médicas e leis de controlo de armas.

A Universidade de Vermont admite que a felicidade é um conceito difícil de quantificar por ser um conceito subjetivo e incrivelmente variável, mas sugere que só uma análise no Twitter permite identificar pontos fulcrais nos quais as instituições se podem focar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Feminismo

Princesas da superficialidade /premium

Alexandre Homem Cristo
682

Uma campanha que, com base em evidências, pode levar a ganhos de saúde das mulheres e, sobretudo, das jovens mulheres, não pode ser qualificada de misógina. Pelo contrário, deve ser aplaudida.

Saúde Pública

As vidas desfeitas pelo consumo de tabaco

Francisco Miranda Rodrigues
176

As campanhas públicas antitabágicas levam à redução do número de pessoas que começam a fumar, aumentam o número de fumadores que cessam o consumo tabágico, tendem a salvar vidas e a poupar dinheiro.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)