Trabalhadores

Portugal tem a 3ª taxa mais elevada de trabalhadores temporários na UE

Portugal tem a terceira taxa mais elevada de trabalhadores temporários na UE, numa lista liderada por Espanha, seguida de perto pela Polónia. A Roménia é o país com menos contratos temporários.

O número de trabalhadores temporários em Portugal está bastante acima da média europeia

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Portugal apresenta-se com a terceira taxa mais elevada na União Europeia (UE) de população empregada com contrato temporário de trabalho, de acordo com os dados disponibilizados esta quinta-feira pelo Pordata.

De acordo com o portal estatístico da Fundação Francisco Manuel dos Santos, o número de trabalhadores com contratos temporários aumentou entre 2000 e 2016 e o país tem agora 22,3% da sua população empregada com vínculo temporário, acima da média comunitária de 14,2%.

Itália, Dinamarca e Alemanha surgem próximos da média da UE. No Retrato de Portugal na Europa, lançado esta quinta-feira no âmbito do Dia Europeu das Estatísticas, o Pordata refere que Portugal surge em terceiro lugar, depois da Polónia (27,5%) e de Espanha, que reduziu a percentagem de trabalhadores temporários na última década.

A Roménia, por sua vez, ocupa o 28.º lugar da lista, com uma percentagem de 1,4% da população empregada vinculada a um contrato de trabalho temporário.

No que se refere a contratos de trabalho a tempo parcial, Portugal ocupa a 16.ª posição na lista dos países da UE, com 11,9% do total da população empregada vinculados a este tipo de contrato. A média dos países da UE encontra-se nos 20,4%, estando próximos deste valor o Luxemburgo, a Itália e França, numa lista liderada pelos Países Baixos (50,5%), com a Bulgária em último lugar (2,2%).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Trabalhadores

O 1.º de Maio /premium

Jorge Barreto Xavier

Será que o “modo” sindicalista que transforma o 1.º de Maio num momento de celebração dos trabalhadores subordinados num quadro de luta de classes ainda se justifica?

Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)