Paddles, a famosa gata da primeira-ministra da Nova Zelândia, morreu durante na terça-feira depois de ter sido atropelada por um carro junto à casa onde morava com Jacinda Ardern e o companheiro, Clarke Gayford. Paddles tornou-se uma sensação da Internet depois de, no final de outubro, altura em que Ardern ganhou as eleições legislativas neozelandesas, lhe ter sido criada uma conta no Twitter. O animal tinha mais de 11 mil de fãs na rede social, que seguiam de perto as aventuras da “First Cat” da Nova Zelândia, como era conhecida, que parecia ter polegares.

Segundo o New Zealand Harold, assim que se apercebeu do que tinha acontecido, o condutor avisou uma vizinha da primeira-ministra que, julgando que a gata estava apenas desmaiada, decidiu levá-la ao veterinário. Mas Paddles tinha morrido no local do acidente. “Estou muito chateada”, disse ao jornal. “Ela faz parte da vida deste bairro. A maioria das pessoas sabia quem ela era.” Na rua de Jacinda Ardern, mas também por toda a Nova Zelândia, onde as reações à morte da “First Cat” se têm vindo a multiplicar. No Twitter, um utilizador chegou mesmo a pedir um “funeral de Estado” para o “líder espiritual da nação”. Afinal de contas, Paddles era a “gata mais poderosa da Nova Zelândia” — segundo o Huffington Post.

No Instagram, onde partilhou um desenho da gata laranja com a legenda “esta é a Paddles, a nova primeira-ministra”, Jacinda Ardern garantiu que a “First Cat” era “muito amada” por todos. “Todos aqueles que perderam um animal de estimação, sabem como me sinto”, disse ainda, apelando a doações para a Prevention of Cruelty to Animals (SPCA), a associação que encontrou Paddles antes de esta ser adotada pela primeira-ministra. “Encontraram-na antes de nós e estaremos sempre gratos por isso.” O apelo foi repetido na conta do Twitter de Paddles.