A polícia alemã realizou esta terça-feira buscas a 24 casas e edifícios em várias cidades do país para localizar os alegados responsáveis pelos distúrbios ocorridos durante a Cimeira do G20, em Hamburgo, no passado mês de julho.

A operação policial realizou-se, nas últimas horas, nas cidades de Hamburgo, Gotinga, Bona, Colonia, Estugarda e Neuwied. As buscas começaram esta terça-feira de manhã nas casas dos alegados responsáveis e nos “centros” que servem de base aos militantes de extrema-esquerda alemães.

Em Hamburgo, a polícia fez uma busca à residência de Deniz Ergun, um dos líderes do grupo “Roten Aufbau Hamburgo”, composto por sessenta militantes e que se encontra sob vigilância das autoridades. Segundo a polícia, o grupo político de Hamburgo fez “vários apelos à violência” durante a Cimeira do G20.

Ergun, de acordo com as autoridades, foi um dos organizadores do protesto que marcado pelos confrontos com as forças policiais, no passado dia 7 de julho. Até ao momento, mais de sessenta processos judiciais foram instaurados contra manifestantes, supostamente responsáveis por “desordens” em Hamburgo.