O demissionário secretário de Estado da Saúde negou ter qualquer relação que não estritamente profissional com Paula Brito e Costa, presidente da Rarríssimas que também se demitiu esta terça-feira, durante uma entrevista que a TVI transmitiu esta noite.

A jornalista Ana Leal questiona Manuel Delgado sobre as viagens que realizou com a presidente da associação e o então secretário de Estado refere apenas duas, de trabalho, a Burgos e a Buenos Aires. A jornalista confronta Manuel Delgado com “uma viagem ao Brasil em que, pelo menos, viajou no mesmo avião que a presidente” e em que “foi tudo tratado pela Raríssimas”.

Manuel Delgado confirma a viagem – ainda que não a tenha referido na primeira resposta – mas nega que tenha sido a Raríssimas a pagar, justificando: “A viagem foi tratada pela Raríssimas porque eu estava em contacto com eles e pedi para eles eventualmente fazerem a reserva porque se calhar era mais económico”.

A jornalista Ana Leal pergunta, então, a Manuel Delgado se, para além da ligação profissional que manteve com Paula Brito e Costa, mantinha uma relação de caráter pessoal. O secretário de Estado demissionário nega. Enquanto Manuel Delgado responde negativamente à jornalista, a reportagem da TVI mostra fotografias de índole pessoal e íntima, em que o agora ex-governante e a ex-presidente da Raríssimas surgem abraçados e a viajar juntos.

Manuel Delgado nega também ter pedido um ordenado de 12 mil euros mês, mais 400 euros para o leasing de um carro e ainda seguro de saúde. Reponde mesmo à jornalista que jornalista que tal não é verdade e quando confrontado com um email com tais valores enviados por Paula Brito e Cunha ao tesoureiro da Associação com tais valores, nega-os e diz mesmo que a ex-presidente não está a dizer a verdade. “Está a mentir?”, pergunta-lhe Ana Leal ao que que Manuel Delgado responde “não está a dizer a verdade”.

Logo depois Ana Leal volta a confrontar com um outro email exatamente com os mesmos valores e ainda com mais dados. “Como sabes, estive com o Dr. Manuel Delgado, e ele aceitou ir para a Casa dos Marcos. Vai custar-nos 200 mil, é muito, mas eu sei que ele põe a casa no mapa do mundo e a fazer dinheiro!!!! Ele diz que o guito há-de aparecer.” E ainda: “Um Manuel Delgado a gerir a nossa casa abanava até o poder político, uma vez que ele é PS e homem de Correia de Campos, que não tarda tomam o governo outra vez e nós ficamos na mó de cima.”

Manuel Delgado demitiu-se esta terça-feira do cargo de secretário de Estado da Saúde e foi substituído por Rosa Matos Zorrinho, até agora presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.