O apresentador de televisão norte-americano Jimmy Kimmel diz que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, até agora, fez “menos que nada” para parar a violência com armas.

Depois do que aconteceu na Flórida, em que um jovem matou 17 pessoas a tiro num liceu, de forma premeditada, Jimmi Kimmel dirigiu-se a Donald Trump esta quinta-feira à noite, e pediu que as ações do jovem atirador fossem condenadas e que as leis que permitem a alguém ter ou não uma arma mudassem.

Na mensagem que dirigiu às famílias das vítimas do ataque da passada quarta-feira Donald Trump disse que o sofrimento era de todos os norte-americanos e que “nenhuma criança ou professor deviam correr perigo numa escola, e que nenhum pai ou mãe devia temer pelos seus filhos quando se despedisse deles antes de ir para a escola”. Em resposta, o apresentador de televisão Jimmy Kimmel diz que há uma maneira de solucionar este problema.

“O presidente pode dizer aos seus colegas no Congresso, que se preocupam tanto com a comunidade, que criem leis que mantenham longe do alcance deste tipo de pessoas armas que estão as matar as nossas crianças e jovens. Vá à televisão e diga isto”, referiu o apresentador, interrompido por um aplauso do público.

Mas não ficou por aqui. “O presidente não fez nada sobre isto, literalmente. Aliás, fez pior do que nada”, disse Kimmel. “Se acha que não temos de fazer nada quanto a isto, então também o presidente tem problemas mentais”, frisou o apresentador, continuamente aplaudido por quem assistia ao programa.

[o discurso do apresentador de televisão norte-americano:]