Carreira

Polícias e militares entregam moção sobre carreiras ao primeiro-ministro

239

Os polícias e militares vão esta terça-feira entregar uma moção sobre as carreiras ao primeiro-ministro. Os profissionais exigem o descongelamento das carreiras.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Polícias e militares vão entregar esta terça-feira ao primeiro-ministro uma moção para exigir o descongelamento de carreiras e a contagem do tempo em que estiveram congeladas, entre 2011 e 2017.

A moção vai ser aprovada num encontro nacional de elementos das forças de segurança e de militares das Forças Armadas que vai esta terça-feira decorrer em Lisboa.

A iniciativa é da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), da Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), da Associação Nacional de Sargentos (ANS), da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) e da Associação de Praças (AP), contando ainda o encontro com o Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP), Sindicato Independente dos Agentes da Polícia (SIAP) e a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG).

O presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, disse à agência Lusa que, durante o encontro nacional, vai ser aprovada uma moção e no final uma delegação vai entregá-la ao primeiro-ministro, António Costa.

Segundo o presidente do sindicato mais representativo da PSP, os polícias e militares exigem que seja cumprido o Orçamento do Estado, que estabelece a realização de negociações para que o descongelamento das carreiras seja atualizado.

“Queremos fazer a negociação o mais rapidamente possível”, disse, sustentando que “o Governo está a desvalorizar a situação e a protelar no tempo” a sua resolução.

Por isso, os polícias e militares vão pedir na moção que António Costa “obrigue os ministérios a desbloquear a situação”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Psicologia

Porque os Vascos… esses são felizes! /premium

Teresa Espassandim

Há dias, quando revisitava o clássico “A Canção de Lisboa”, não pude deixar de me lembrar do Pedro [nome fictício] e da sua triste história. Da ficção à realidade nem sempre vai uma grande distância.

Impostos

Sejamos todos Robin dos Bosques

Rodrigo Saraiva

O protesto é uma arma da democracia, mas deve estar ligado directamente ao voto e não à violência. Sejamos todos Robin dos Bosques contra o saque fiscal. Há uma diferença entre o imposto e o esbulho. 

Austeridade

Os custos das escolhas estão aí /premium

Helena Garrido

Todas as escolhas têm custos. Mesmo que à primeira vista não pareçam. Os custos das escolhas financeiras feitas pelo Governo estão agora visíveis na Saúde e nos Transportes, agravando as desigualdades

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)