A polícia de Sacramento, no estado norte-americano da Califórnia, disparou 20 vezes contra um homem negro, depois de confundir um telemóvel com uma armade acordo com o jornal The Independent. O homem estava no quintal dos seus avós e foi atingido porque dois polícias julgaram que o telemóvel que tinha na mão era uma arma.

Dois policia gritaram a pedir ao suspeito que mostrasse as suas mãos e depois gritaram “arma, arma, arma” momentos antes de o matar, pode ver-se nas imagens divulgadas pela própria polícia de Sacramento.

Ele estava no sítio errado à hora errada no seu próprio quintal? Vá lá, eles não precisavam de ter feito isto”, disse a avó.

A polícia ainda não identificou o homem mas Salena Manni, a noiva da vítima, disse ao mesmo jornal que era Stephon Alonzo Clark, de 22 anos. Clark tem dois filhos de um e três anos. O homem foi dado como morto no quintal. “Estamos a fazer o nosso luto agora e precisamos do nosso tempo”, disse Salena Manni.

Nas imagens não é possível ver o que o homem estava a fazer antes de ser atingido. De acordo com a polícia, o homem tinha sido visto a tentar entrar em três carros e, depois, na casa de um vizinho. As autoridades que estavam num helicóptero viram o homem a saltar o muro de uma casa que seria do vizinho e deram instruções aos polícias que estavam no exterior. Segundo a informação da polícia de Sacramento, no momento em que os dois agentes se aproximaram, o homem apontou um objeto contra eles, que julgaram ser uma arma.

“Vinte disparos foram feitos. Cada agente disparou dez”, informou a polícia mais tarde, revelando que depois de uma “procura exaustiva” não encontraram nenhuma arma, sendo um telemóvel o único objeto que foi encontrado.