O número de casos confirmados de sarampo subiu para 97, o que representa uma subida de sete em relação ao último balanço, informou em comunicado a Direção-Geral de Saúde (DGS), referindo que 90 já estão curados.

A atualização da DGS realtiva ao surto, que se refere até às 19 horas de quarta-feira, dá conta de que há dois doentes que se encontram ainda internados, mas que estão clinicamente estáveis e que 20 casos estão ainda sob investigação.

A maioria dos casos continua a ter ligação ao Hospital de Santo António, no Porto, segundo a entidade. Na quarta-feira de manhã, o balanço da DGS apontava para 90 casos confirmados de sarampo relativo ao atual surto.

A DGS explica que está “em curso a investigação epidemiológica detalhada da situação, que inclui a investigação laboratorial de todos os casos” e apela à vacinação. Caso haja “sintomas sugestivos de sarampo”, a entidade recomenda que se “evite o contacto com outros”.

“Os sintomas de sarampo aparecem geralmente entre 10 a 12 dias depois da pessoa ser  infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal”, explica a DGS.