Steve “Woz” Wozniak, o co-fundador da Apple, juntou-se ao movimento #deletefacebook apagando a conta da que é a maior rede social do mundo. “Devia incomodar toda a gente a quantidade de dados a que eles [Facebook] têm acesso, como informação do perfil que pensamos ser privada”, afirmou Wozniak num e-mail enviado à CNN.

A minha repugnância é com o Facebook. Mas, como todos, cliquei em ‘Aceitar’ e ‘Ok’ ou outro e dei tudo ao Facebook. Senti-me sempre mal por as redes sociais poderem vender dados, como as minhas fotografias, e ficarem com o dinheiro todo”, disse SteveWozniak à CNN.

O movimento #deletefacebook tem juntado nomes como Brian Acton, co-criador do Whastapp (agora do Facebook), e Elon Musk, o presidente executivo da Tesla e SpaceX. Tim Cook, o atual presidente executivo da Apple, criticou também a rede social de Mark Zuckerberg. No final de março, Cook afirmou: “Se os nossos clientes fossem o nosso produto, faríamos imenso dinheiro. Optámos por não o fazer”.

Mark Zuckerberg vai depor perante o Congresso americano esta terça e quarta-feira, primeiro ao Senado e depois à Câmara dos Representantes. A polémica com a utilização de dados pessoais pelo Facebook e empresas terceiras começou a 17 de março, depois de o The Guardian, o The New York Times e o Channel 4 terem divulgado que a Cambridge Analytica, a partir de dezenas de milhões de perfis da plataforma, influenciou eleições nos Estados Unidos.