Na manhã deste domingo, um homem de 29 anos entrou num restaurante de Nashville, nos Estados Unidos, e disparou vários tiros de espingarda que resultaram em quatro mortos e quatro feridos. Travis Reinking – que abriu fogo totalmente nu e foi detido esta segunda-feira – fugiu do restaurante e deixou a arma para trás. O tiroteio poderia ter sido bem mais trágico e mortal se uma das pessoas que estava dentro do restaurante não tivesse parado o atirador com as próprias mãos.

Tiroteio em restaurante em Nashville faz pelo menos quatro mortos. Atirador já foi detido

Assim que ouviu os primeiros disparos no Waffle House de Nashville, James Shaw Jr. correu e escondeu-se na casa de banho do estabelecimento. Minutos depois, apercebeu-se de que o atirador tinha parado de disparar. Abriu ligeiramente a porta e espreitou: Travis Reinking estava parado, a olhar para a espingarda, a tentar recarregá-la. James Shaw Jr. percebeu que era a sua única possibilidade para conseguir travar Reinking e evitar que disparasse sobre mais pessoas.

Correu em direção ao atirador, lutou com ele com as próprias mãos e conseguiu tirar-lhe a espingarda, que atirou para longe. A arma ainda disparou uma bala que feriu James Shaw Jr. no cotovelo mas Travis Reinking, desarmado, fugiu.

O porta-voz da polícia de Nashville chama-lhe “herói”, outra das pessoas que estava no restaurante repete o elogio mas James Shaw Jr., de 29 anos, garante que foi “um ato completamente egoísta”. “Fi-lo completamente apenas para me salvar. Não quero que as pessoas pensem que fui o Exterminador ou o Super-Homem. Pensei que se ia morrer, ele ia ter de fazer por isso”, disse o norte-americano durante uma conferência de imprensa, ainda este domingo.

A CNN conta que, depois de uma rápida passagem pelo hospital para suturar o golpe feito pela bala no cotovelo, James Shaw Jr. foi à missa com o pai e continuou o dia de domingo como se nada tivesse acontecido. Em entrevista, confessou: “Acho que ainda não me ‘bateu’. Sei que vai levar algum tempo. Vou tentar encontrar ajuda profissional, porque sei que isto que me aconteceu não foi normal”.

Ainda durante este domingo, apressou-se a criar uma página de crowdfunding para as famílias das vítimas mortais. Horas depois, o objetivo de angariar 15 mil dólares estava praticamente cumprido.