As tropas norte-americanas vão manter-se na Coreia do Sul, independentemente de um acordo de paz entre as duas Coreias. A garantia foi dada por Seul, esta quarta-feira. “As tropas norte-americanas na Coreia do Sul são uma questão ligada à aliança entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos. Nada tem a ver com a assinatura de acordos de paz”, afirmou o porta-voz do presidente sul-coreano, citando o próprio Moon Jae-in.

Segundo fonte presidencial, citada pela Reuters e pelo Japan Times, os Estados Unidos — que têm cerca de 28,500 militares na Coreia do Sul — desempenham um papel de mediador em confrontos militares entre países como a China e o Japão, daí Seul querer manter a sua presença no território.

Este esclarecimento do presidente sul-coreano surge no seguimento de um artigo de opinião de um conselheiro presidencial, Moon Chung-in, que considera que, caso haja um acordo entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, será “difícil justificar” a presença das tropas norte-americanas.

Há muito que a Coreia do Norte pede a retirada das tropas norte-americanas como contrapartida para o abandono das armas nucleares, mas esta questão não terá sido levantada no encontro da semana passada entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e Moon Jae-in.

Recorde-se que Kim Jong-un e Donald Trump deverão reunir-se dentro de cerca de um mês.