Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Campeão espanhol por duas ocasiões. Vencedor da Taça do Rei outras duas. Duas Supertaças espanholas, duas Supertaças europeias, três mundiais de clubes e quatro Ligas dos Campeões. Cristiano Ronaldo venceu tudo isto ao serviço do Real Madrid, o clube que, durante muitos anos, disse ser o seu “sonho”. Mas 438 jogos depois, (e após ter marcado 450 golos), a história pode chegar ao fim já este verão.

De acordo com o jornal desportivo Record, Cristiano Ronaldo vai mesmo deixar o Santiago Bernabéu. Depois de deixar meio mundo com os olhos (ainda mais) postos nele após a final da Liga dos Campeões, quando disse que “tinha sido bonito jogar em Madrid” e prometeu falar nos dias seguintes, os ânimos serenaram já depois de a equipa chegar de Kiev, nas celebrações com os adeptos, quando o português se despediu com a frase “até para o ano”.

Ainda assim, o Record garante que a decisão é “irreversível”. Em causa – mais do que números, cifras e revisões salariais – estará a alegada indiferença e frieza com que Florentino Pérez sempre tratou Cristiano Ronaldo ao longo dos nove anos em que o madeirense esteve em Madrid. O incumprimento de várias promessas do presidente dos merengues terá sido o fator decisivo para a saída do avançado português, já que este não deixará o clube por dinheiro, mas sim por falta de reconhecimento.

Fisco, promessas, cláusulas por objetivos, Neymar e Messi: o que pode levar Ronaldo a sair?

Depois da final da Liga dos Campeões, que o Real Madrid venceu pela terceira vez consecutiva, Florentino Pérez terá prometido a Cristiano Ronaldo a renovação do contrato com uma revisão salarial que aproximaria o salário do português ao que Messi recebe em Barcelona ou Neymar em Paris. O acordo terá mesmo sido confirmado ao próprio Ronaldo, através de uma chamada telefónica, mas quase duas semanas depois e a menos de uma do início do Mundial da Rússia, nada avançou. De acordo com o As, Jorge Mendes já terá mesmo reunido com a direção merengue e o jogador português já sabe que o Real Madrid não fará qualquer esforço para conseguir a renovação. O jornal espanhol garante que uma segunda reunião entre as duas partes vai acontecer ainda durante esta quinta-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O jornal sublinha ainda a “falta de empatia” entre Pérez e Ronaldo, problema que se acentuou ao longo dos anos e que terá mesmo tido episódios desrespeitadores por parte do presidente madrileno. Em dezembro de 2017, quando Cristiano Ronaldo venceu a quinta Bola de Ouro da carreira, Florentino Pérez afirmou: “Neymar ganhava o prémio se vestisse a camisola do Real Madrid.

O futuro do avançado de 33 anos é agora uma incógnita com muitas saídas já conhecidas. Ronaldo tem contrato até 2021 e uma cláusula de rescisão de mil milhões de euros, pelo que o clube que surge imediatamente no topo das apostas é o PSG. Em seguida, Itália: Juventus, AC Milan e Inter Milão serão os principais interessados em chegar a Madrid com um camião de dinheiro. Por fim, o destino mais poético – o regresso ao Manchester United, clube onde venceu a primeira Liga dos Campeões e a primeira Bola de Ouro.