Hospital de São José

Dezenas de médicos do S. José assinam documento de apoio a chefes demisssionários

193

Dezenas de médicos das equipas de urgência do hospital de S. José estão a subscrever um abaixo-assinado a manifestar apoio aos chefes de equipa que apresentaram a sua demissão.

Hugo Delgado/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Dezenas de médicos das equipas de urgência do hospital de S. José estão a subscrever um abaixo-assinado a manifestar apoio aos chefes de equipa que apresentaram a sua demissão pela situação em que se encontra a urgência.

Os médicos (…) que compõem as equipas de urgência do Centro Hospitalar de Lisboa Central querem manifestar todo o apoio aos seus chefes e partilhar as mesmas preocupações”, refere o abaixo-assinado, a que a agência Lusa teve acesso.

Segundo fontes hospitalares, o documento começou a circular na quarta-feira e já foi assinado por mais de 60 médicos que compõem as equipas de urgência.

Estes médicos, que manifestam apoio às chefias demissionárias, lembram que a função dos chefes de equipa numa urgência com as características do hospital de S. José, em Lisboa, “é complexa e de enorme responsabilidade”.

A liderança, além dos aspetos de coordenação assistencial médica e de tomada de decisão clínica, implica a defesa da coesão das equipas, a manutenção de um elevado nível de qualidade nos cuidados prestados aos doentes, a segurança das condições de trabalho dos médicos, a conservação da capacidade de formação e a continuidade da tradição secular de excelência”, refere o abaixo-assinado, que será dirigido à administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central, que integra, nomeadamente, o S. José, a Maternidade Alfredo da Costa e a Estefânia.

Na sexta-feira, os chefes de equipa de medicina interna e cirurgia geral do hospital de S. José apresentaram a demissão por considerarem que as condições da urgência não têm níveis de segurança aceitáveis.

Na carta que contém os pedidos de demissão, os profissionais apontam para a consecutiva degradação da assistência médica prestada no serviço de urgência do S. José, considerando que se chegou a uma “situação de emergência”, que impõe “um plano de catástrofe”.

Os chefes de equipa de medicina interna e de cirurgia geral, responsáveis pelos cuidados médicos de urgência prestados durante o seu período de serviço, consideram que as atuais condições de assistência no Serviço de Urgência do Hospital de S. José ultrapassaram, em várias das suas vertentes, os limites mínimos de segurança aceitáveis para o tratamento dos doentes críticos que diariamente a ele recorrem”, refere o documento.

Os profissionais indicam que a assistência médica prestada na urgência polivalente do Centro Hospitalar de Lisboa Central “tem vindo a sofrer, ao longo dos últimos anos, uma degradação progressiva constatada por todos os profissionais” que lá trabalham.

Consideram que a falta de pessoal não se verifica apenas nas equipas de medicina interna e de cirurgia geral, mas também noutras especialidades implicadas na assistência aos doentes que recorrem ao serviço de urgência.

A situação motivou já uma visita por parte do bastonário da Ordem dos Médicos.

Na quarta-feira, em entrevista à agência Lusa, a presidente da administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central, Ana Escoval, garantiu que continua a ser seguro recorrer às urgências dos hospitais São José e Estefânia e da Maternidade Alfredo da Costa, elogiando o esforço e dedicação dos profissionais para manter o funcionamento dos serviços.

Também esta semana, chefes de equipa da Maternidade Alfredo da Costa entregaram à administração um pedido de demissão.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Hospitais

Hospital de São José em Agosto

Jaime Nogueira Pinto
1.572

Esquecendo os meus males naquela tarde de Agosto pensei no privilégio de ali estar em São José, onde a presença do Bem se ia impondo no meio do mal, onde a caridade e a eficácia superavam tudo o resto

ADSE

A saúde é um negócio

Luis Teixeira

Não há nenhuma evidência de que impedir organizações privadas na saúde melhore os cuidados. Pelo contrário: o monopólio estatal traduz-se geralmente em iniquidade, desperdício e nepotismo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)