A rede social norte-americana Twitter prepara-se para apagar esta quinta-feira dezenas de milhões de contas  suspeitas de serem falsas. A medida, anunciada pela empresa, marca uma mudança na tentativa de restabelecer a confiança dos seus utilizadores.

O Twitter vinha a sofrer com os relatos de pessoas que utilizam contas falsas para aumentar o seu número de seguidores na rede social e, dessa forma, aumentarem a sua influência. Uma investigação do New York Times, em janeiro, dava conta do caso de uma empresa dedicada à venda de contas falsas para políticos, modelos ou atores, por exemplo.

As medidas começarão a ser tomadas esta quinta-feira, com dezenas de milhões de contas a serem removidas. Os números oficiais não foram avançados mas, ao todo, a medida deverá reduzir em 6% o número de contas da rede social. Porém, o Twitter quer deixar claro de que estas contas não se tratam de spam bots (perfis que difundem mensagens em massa), mas sim de perfis criados por pessoas reais cujo o seu controlo não é possível ser confirmado.

A primeira vaga desta operação deverá demorar alguns dias a estar concluídas mas aparentemente já está a ter impactar algumas das personalidades que utilizam a plataforma. De acordo com a jornalista do Washington Post, Elizabeth Dwoskin, o número de subscritores de Donald Trump e de Barack Obama já começaram a descer.

O presidente executivo da empresa, Jack Doherty, utilizou a sua conta na rede social para explicar o propósito por detrás da operação. Para Doherty, esta ação faz parte do compromisso da empresa por uma conversa coletiva mais saudável e com mais civismo.