O sul-africano Kevin Anderson, oitavo jogador do ranking mundial de ténis, apurou-se esta sexta-feira para a final do torneio londrino de Wimbledon, ao derrotar o norte-americano John Isner, em encontro que durou mais de seis horas.

Num embate que colocou frente a frente dois dos jogadores mais altos do circuito, Anderson, que nos quartos de final já tinha disputado uma “maratona” frente ao suíço Roger Federer, primeiro favorito, levou de vencida o 10.º jogador do mundo por 7-6 (8-6), 6-7 (5-7), 6-7 (9-11), 6-4 e 26-24, ao fim de seis horas e quatro minutos.

Este foi o segundo encontro de singulares mais longo na relva do ‘Grand Slam’ londrino, sendo que o mais longo do torneio e do próprio circuito opôs o mesmo Isner ao francês Nicolas Mahut, em 2010, durou 11 horas e cinco minutos e foi favorável a Isner por 6–4, 3–6, 6–7 (7–9), 7–6 (7–3) e 70–68, em jogo da primeira ronda do torneio.

Na final, Anderson vai defrontar o vencedor do encontro entre o espanhol Rafael Nadal, segundo da hierarquia, e o sérvio Novak Djokovic, 12.º do mundo.